O seu e-mail foi enviado

sair

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Cancelar

O que fazer quando a alma está carente

por Izabel Telles

Tenho recebido muitos e-mails onde nossas amigas (mais que nossos amigos) têm pedido para eu falar um pouco sobre a voracidade na hora de comer. Ando comendo compulsivamente, socorro! Estou cada dia mais gorda e não consigo me controlar, tem sido este mais ou menos o resumo dos pedidos que venho recebendo.

Sentei para meditar sobre o assunto e encontrei uma primeira hipótese que coloco para que você medite sobre ela:

- Quem tem fome: seu corpo ou sua alma?

A maior parte dos clientes que me procuram com problemas de obesidade, revelam imagens mentais contraditórias ao volume dos seus corpos. Geralmente são pessoas leves, inseguras, que flutuam nas nuvens sem densidade, sem pernas e pés. São seres tão desconectados da realidade que precisam usar seus corpos físicos como pesadas âncoras para conseguirem se manter com os pés firmes no chão. Como se estivessem querendo comunicar o seguinte sentimento: preciso ser forte para estar neste mundo que agride a minha leveza.

Quando vejo estas imagens penso: o corpo desta pessoa não pode voar. Então ela deixa que seu espírito seja leve e com isso voe.

E isso, para mim, parece ter sentido porque percebo que as pessoas muito acima do peso são pessoas engraçadas, alegres, bem dispostas... claro que isso não é uma regra, mas observo que costuma ser assim.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Comentários

publicidade
publicidade
Cálculo do signo ascendente

Outros Sites

Site

SAPO Mulher

A angústia da busca da perfeição

Permita-se ser imperfeita e aceite-se como é
Site

SAPO Saúde

A dietista explica

Por que deve comer várias vezes ao dia
Site

SAPO Crescer

Crescimento e comportamento

O que causa a frustração na criança?
Site

SAPO Vídeos

Cerca de 180 segundos com Gustavo Santos

Dicas todas as semanas para viver um dia-a-dia mais feliz
Site

SAPO Zen

Viagem astral

Líssia Pinheiro explica-nos o fenómeno da saída do corpo